11.11.07
MELado

Escreveu o meu pai numa carta(ainda nem lhe pedi autorização, parece que tenho que pedir DESCULPA -repare-se nas letras grandes -de o trazer para a fama -ele que não é nada adepto destas coisas) para mim:
"foi o estágio que não planeaste, o da difícil aprendizagem do que é ser assistido dia-a-dia por outros, a quem não podes dar senão gratidão, e tens-lo feito muito bem, que os que de ti cuidam andam contentes da maneira como para eles és.(...) e como o que te dão é para regressares a não precisares mais deles e delas, ir à tua vida. Foi o oficío que escolheste também. Incrível como as coisas podem bater certo assim" Fernando Belo (relembro que o curso esolhido foi o de Política Social, nome pomposo para futuros assistentes sociais). Eu chamar-lhe-ia estágio de vida.

Parece que tenho que falar sobre mim e minha evolução, parece que faz sentido à curiosidade dos que nos lêem., pareece que estou a encher de passados aqui o futuros, embora esteja sempre de olhos no futuro.Tenho tantos escritos guardados que dava para escrever um lIvro de memórias.

O MEL -de que faço orgulhoamente parte - (Movimento de Ex-Leonardos) pediu-me para escrever um texto curto que definisse a minha estadia em BERLIM no programa LEONARDDO DA VINCI (espécie de ERASMUS para gente licenciada) Iniciei logo pensamentos à volta do assunto, mas parece que vão usar outro texto maior mais actual, escrito mais a seguir à temporada in deutschland. como comecei a escrever resolvi colocar aqui o dito piccolo texto.

Eis que vem o MEL (MOVIMENTO de EX-LEONARDOS) doce e pegajoso tentando escrevinhar um texto curto que retrate a minha estadia em BERLIM, pediu ajuda a ein gut deutsche freudin (é assim que se diz/escreve?) que o aconselhou a fazer um texto dividido em expectativas, o dia-a-dia lá e momentos marcantes. Ora aceite a sugestão aqui alinho as palavras.
Expectativas altas largamente superadas, ia com uma noção boa mas extremamente errada. O que é isso de viver fora? relembro que na Alemanha
(com gente, língua, temperatura, arquitectura, tudo diferente) era a primeira vez que tinha que viver longe dos pais com Tugas, durante tanto tempo
.
O dia-a-dia: começou com as aulas de alemão de manhã, muito tempo para descobrir a cidade e um 1º estágio numa Associação de cariz sócio-educativo (kinderring). Depois, com dias num ATL de Marzahn - zona problemática de BERLIM, dizem que era uma zona VIP no leste antes da queda do muro. Depois fiz um acompanhamento do MUT, GRUPO de jovens anti-fascistas.
momentos marcantes - tenho esta estúpida mania de pensar como marcantes as pessoas que me acompanharam - no prédio onde vivemos foram vários os grupos de gente que por lá passaram (desde ingleses a italianos).................................................

Restaria acrescentar que adorei estar em Berlim e que hei-de lá voltar.



HaloScan.com