8.11.07
de uma amiga...

"Eu gosto muito do Inverno; de sair de casa embrulhada em camadas de lã fofa e quente, de abraçar canecas de bebidas fumegantes com as mãos ou de me sentar em frente a lareiras acolhedoras. No entanto, para a maioria das pessoas (esmagadora, eu diria mesmo), o Inverno é uma época do ano má, a pior de todas: porque passam (ainda) mais frio, muitas vezes ficam sem sítio para dormir porque chove, o que as torna mais vulneráveis à doença e à fome. Todas as manhãs passo pela mesmo sexagenária, corcunda e trémula de gelo, que pede esmola no metro do Chiado. Centenas de pessoas passam comigo, todas igualmente indiferentes àquela desgraça. Talvez porque não se trata da sua. Hoje ao almoço, entrou no sítio onde eu comia, uma cigana grávida, vendendo pensos rápidos. Mais de metade dos comensais nem se dignava a fitá-la, limitando-se a menear a cabeça e, sentido negativo, continuando depois a falar ao telemóvel ou a comer, mais uma vez impassíveis à miséria alheia. Pergunto-me: como resolver este ciclo crónico? Porque dar-lhes dinheiro/comida só resolve a necessidade imediata, e não o problema em si, mas fingir que não existem, é pura hipocrisia. E duma crueldade desumana, também."

Tatiana




HaloScan.com