10.9.07
entrar no mundo interior duma personagem
uma_imagem_gira

Ainda não percebi bem o que faz um bom filme para mim, mas acho que tem alguma coisa a ver com o que dizia Woody Allen, ainda falando de Ingmar Bergman, sobre a forma genial como ele nos levava a conhecer o mundo interior das suas personagens, com a sua história, os seus dramas, dúvidas e inquietações:

«Na escola de cinema (fui rapidamente expulso da Universidade de Nova Iorque quando estava a estudar cinema nos anos 50), a ênfase era sempre no movimento. Os professores estavam sempre a dizer aos estudantes que o cinema era imagem em movimento e que a câmara tinha de estar em movimento e tinham razão. Mas Bergman fixava a câmara na cara de Liv Ullman ou na de Bibi Andersson e deixava-a aí sem a mover e o tempo passava e passava e uma coisa estranha e maravilhosa e única acontecia. O espectador sentia-se atraído para dentro do personagem e isso não era aborrecido mas emocionante.»



HaloScan.com