11.7.06
Ney, uma vez mais
Ney Matogrosso novamente no pátio das escolas, na universidade.
Há dias em que é muito difícil convencer as pessoas de que vale a pena. Não interessa que gostem muito, que conheçam ou não a música, não interessa se têm os CD's em casa, não interessa se o dia já vai longo a convidar a ficar em casa.
É um espectáculo que vale muito a pena! Eu já vi. E insisti, insisti. E fomos. Fomos.
E todos gostámos muito e todos saímos a cantar, admirando um homem que é extremamente tímido e extremamente sensual. Encheu o pátio, a vista sobre o mondego.


Se canto sou ave, se choro sou homem
se planto me basto, valho mais que dois
quando a água corre, a vida multiplica
o que ninguém explica é o que vem depois


Ney, sentiu-se a liberdade, sentiu-se a dignidade.

uma_imagem_gira
E esta música fica aqui, porque a cantámos alto, porque apeteceu dançar, porque a oiço cantada ou assobiada desde que me lembro de ser gente.

Bandolero
Letra e música: Lucinha

E se falasses magia sonho
e fantasia
e se falasses encanto
quebrando condão não te
enganarias não
fossem ciganos a levantar poeira
a misturar nas patas, terra de
outras terras, ares de outras matas
E eu bandoleiro no meu
cavalo alado
na mão direita o fado, jogando
sementes no campo da mente
E se falasses magia sonho e fantasia
e se falasses encanto quebranto
e condão feitiço transe viagem
alucinação
... miragem

(ouvir)



HaloScan.com