3.4.06
fim-de-semana
Disseram-nos que teríamos 3 dias a caminhar.
A mochila devia ser pequena e iria sempre connosco.
O destino não nos seria revelado. Apenas o início.
Dois a dois preparámos momentos de paragem… e eu consegui partilhar a Rita, o Fernão Capelo Gaivota e a Sophia com aqueles de quem muito pouco sabia mas com quem irei para África.
Decidi deixar o telemóvel em casa (e não uso relógio). Segui pelo Gerês por subidas e descidas (muito alto e muito baixo, visto daqui para ali e de lá para cá), por correntes de água, por correntes de frio e por muitas horas em que sabíamos apenas ter de andar… conversar… pensar. Senti-me sempre contente por nunca saber para onde íamos.
A mochila não pesou demasiado. Os pés, o corpo e o sono acusam o cansaço. O final revelou-se em fabulosas quedas de água. Tudo está bem e questiono apenas porque, de há uns anos para cá, quem me conhece me descreve sempre da mesma forma.



HaloScan.com