11.1.06
protesto do dia cheio
Tenho muitas vezes a sensação que vivo o dia aos bocados. Bocados que não se inter-cruzam entre eles. De uns espaços para outros. Na cidade movo-me quase sempre de autocarro, de uns pontos para os outros, de umas pessoas para outras. Às vezes escolho ir a pé para que a mudança se faça sentir mais devagar. Espaços diferentes que se ligam através de mim. Porque eu gosto de dizer que vim dali e vou para ali. Não sempre. Mas tenho aprendido a gostar de o fazer, liga-me às pessoas, deixa-se cair aquela sensação estranha do vazio de não saber o que é a outra pessoa quando não está ao pé de nós. Aquela história com que brincavamos um dia destes... "tenho de ir fazer uma coisa"... como diz um amigo meu, "para mim ter de ir fazer uma coisa e não se dizer qual é, é ir à casa de banho!"
Mas não fugindo ao protesto, que se dane quem hoje me vier dizer que ter os dias cheios é que é muito bom, depois de 2 semanas sempre com o dia cheio… entenda-se de coisas que eu escolhi, que eu desafiei ou simplesmente alinhei o que me apetecia mesmo era um dia vazio!!!



HaloScan.com