17.10.05
Dissidência
Apanhei sem querer, num destes dias, um programa que nunca tinha visto e que chama “A revolta dos pasteis de nata”. Pelo que percebi, era sobre o Ensino Superior.
A primeira convidada era uma aluna de medicina que parecia investir à câmara um qualquer cartaz a dizer “eu não sou croma, estou neste curso porque sou inteligente!”. Não disse nada com que eu concordasse, irrita-me que os alunos de medicina vendam a ideia de um curso de marranço, é uma idiotice.
O segundo convidado era o Fernando Dacosta e tive pena que fosse interrompido tantas vezes. Falou do mal da educação no nosso país. Mas também falou do bem. Embora cada vez menos frequentes, as tertúlias, os espaços de conversa informal, as discussões acesas e entusiasmantes no parecer dele, não se encontram assim em mais lado nenhum.
O mal, segundo ele, eu resumiria à matança da “dissidência”, do lugar da criatividade, do rasgo de atrevimento. Uniformização.
Gosto da palavra dissidência.



HaloScan.com