25.3.05
Beatniks - os vagabundos da estrada.

legenda: Portrait of Jack Kerouac w/ Bohemian Manual in Pocket, 1953, Allen Ginsberg

Pergunta-me o Zé Filipe "O que raio é isso de beatnik?" Não sei o bastante para ser rigoroso no conceito, mas vou pegar no que sei. Os Beatniks foram um movimento dos anos 50 nos EUA reconhecido pelo movimento Beat, que foi suficientemente importante para ser estudado em alguns manuais de Introdução às Ciências Sociais actuais.
Movimento boémio, espanta-me que o seu nome não seja mais reconhecido por tantas pessoas das novas gerações que, se fossem enquadradas nos anos 50 americanos, seriam certamente apelidadas de Beatniks na sua forma de viver. Jack Kerouac, Allen Ginsberg e William Burroughs e o seu encontro são os grandes fundadores deste movimento.

Falam de liberdade e da beleza da estrada "de ir pela noite dentro em estradas desertas com os faróis do carro a engolirem as marcações do centro da estrada de forma tão rápida como a velocidade do carro, a beleza que isso tem só é comparável à liberdade de poder fazê-lo" (cito de cor). De uma solidão do viajante só própria da amizade, das boleias como método para ir sem destino, ir apenas pelo mundo; do Jazz (na altura o livro levou-me a comprar cd's de Charlie Parker) do sexo, do alcoól e das drogas como fontes de libertação. A vida intensa é o seu princípio primeiro e único e talvez sejam eles os precursores do que veio a ser o movimento hippie.

Jack Kerouac e o Pela Estrada Fora é o que conheço melhor:

Jack Kerouac: "Jean-Louis Lébris de Kerouac, Jack para o mundo, não foi o único derrotado na vida e vitorioso na criação literária. Essas contradições, impasses e paradoxos não são apenas um drama pessoal. Sua obra, por mais particular que fosse, também é universal, espelho de todos nós. Em cada um de seus leitores está, talvez adormecido, o beat aventureiro e o adulto que deseja recuperar a infância."(...) "Para as adolescentes ele foi o Poeta Louco, o primeiro amor que nunca esqueceram, com a sua conversa sobre boleias em comboios de carga e carros, estrada fora. Kerouac criou um herói de estilo moderno em Pela Estrada Fora; inventou a Geração Beat, originou um estilo de viver e um estilo de escrever"

Pela Estrada Fora: "A primeira exploração da prosa romântica americana desde Hemingway, cheia de louca comédia sexual, de belas passagens de viagens e longas evocações líricas da infância da América e memórias de adolescência." "Energia poética espontânea... celebrativa e desafiadora."

Espero que compreendam agora porque falei em "transtornar" no pequeno post anterior sobre Kerouac. Para um adolescente esta forma de viver a vida suscita questões e dá que pensar.

nota: desta vez não peço desculpa pela resposta aos comentários em forma de post. É que a caixa de comentários para certos assuntos parece-me pequena.



HaloScan.com