10.1.05
a física explica a meta-física?
Uns post mais abaixo gerou-se uma discussão interessante a propósito de um post em que se fala de propriedades "supra-físicas". Dizia o autor citado (Mário Bunge) que "há coisas que escapam à teoria quântica não porque tenham grandes dimensões, mas porque têm propriedades suprafísicas, tais como a de estar vivo e obedecer a normas que não derivam de leis físicas". Para tirar a prova dos nove, li este texto à física cá de casa, que franziu o sobreolho quando o ouviu. Depois discutimos. Para explicar a conclusão, passo a citar outro fulano (Keith Ward, de "Deus o acaso e a necessidade"):

«As leis da mecânica não são muito úteis em áreas em que existem muitas outras propriedades não mensuráveis em interacção complexa — como, por exemplo, as relações sociais e políticas. Deste modo, uma medida exacta da massa, posição e velocidades das bolas de bilhar em cima de uma mesa, no início de um jogo, não proporcionam uma previsão segura do local em que as mesmas se encontrarão após dois minutos de jogo. Isto não se deve apenas ao que consideramos ser a imprevisibilidade inerente até mesmo a sistemas newtonianos e causada pela impossibilidade prática de descrever exactamente as condições iniciais. Deve-se também ao facto de estarem envolvidas intenções e capacidades humanas. Mesmo assim, as leis da mecânica continuarão a ser úteis, pois elas possibilitarão aos jogadores prever o que irá acontecer se baterem numa bola num ângulo específico com uma força específica. O que elas não farão é prever que um jogador seja capaz de introduzir todas as bolas nos buracos pela ordem correcta. Nessa altura entram em jogo factores psicológicos e sociais, introduzindo factores que influenciam a situação e que o modelo ideal da mecânica não toma em consideração. Deste modo, podemos ter leis e equações deterministas num mundo que não é totalmente determinado apenas por essas leis. Esse é o mundo em que parecemos viver.
Mesmo que as leis da física não sejam os únicos factores que influenciam o futuro, é ainda um facto notável que as construções matemáticas da mente pareçam revelar uma estrutura matemática objectiva ao próprio domínio físico.
»

Os meus companheiros de conversa dir-me-ão, com toda a razão, que ele se esquece de olhar para as interacções biológico-quânticas que se passam nos cérebros dos jogadores. Porém, essas interacções são fruto de toda a experiência acumulada pelos jogadores (se fosse eu a jogar, era cientificamente certo que não iria fazer grande figura). Ortega y Gasset dizia isto mesmo no seu célebre "Eu sou eu e a minha circunstância". Poderiam as leis físicas calcular a história completa de uma pessoa? Tenho sérias dúvidas e, sinceramente, acho que isso é pouco relevante. São-nos bem mais úteis as leis de outras ciências para falar dos comportamentos humanos, sociais, económicos, culturais, políticos ou artísticos. Quer isto dizer que há porções de matéria que não estão sujeitas às leis da física? De modo nenhum. Quer dizer, isso sim, que há realidades que não nos são plenamente acessíveis usando exclusivamente a física. E ainda bem que temos tantas outras formas de conhecimento que nos permitem abordar e maravilhar-nos com os comportamentos mais misteriosos da natureza humana.



HaloScan.com