11.11.04
Escrita à solta


Sempre gostei de escrever, quando tive de escolher o curso a fazer e por entre dúvidas e dúvidas o Jornalismo foi uma das ideias que me passou pela cabeça, e teve quase corpo... dizimada em cinzas por alguém jornalista que também anda por aí no mundo dos Blogues me ter confirmado a ideia de que no mundo da comunicação social não bastava ser bom, sem cunhas promíscuas não se fazia carreira por ali. Com certeza que esta pessoa já nem se lembra de ter dito isto, nem sabe a importância que teve na altura: as palavras têm estas forças de dizer, de pensar, é preciso cuidado com elas, tratá-las com carinho.
Hoje, gostando de escrever como dantes, percebo, no encanto que ainda tenho pelo mundo do jornalismo, que o gostar de escrever, muito provavelmente, não seria no jornalismo que o saciaria, (embora talvez havendo formas de jornalismo que o fizessem).
No curso que escolhi, pensei sempre que para lá de todo o gozo que me poderia dar o mundo das ciências sociais e de trabalhar com gentes (premissa importante), ainda havia o grande desafio de escrever sobre elas, de conceber gente forte a quem a vida custou, de relatar o anónimo. Sem saber muito bem como, a vida me tem guiado por caminhos em que isso existe, em que é bom poder estar onde estou. No estágio que agora estou a fazer tenho encontrado todos os dias histórias que contar.
Quando eu for grande... quando eu for grande quero ainda ter este prazer de dar bocadinhos de mim por palavras, de me reinventar em escritas, de encontrar os outros nelas; mas isso são outros blogs!



HaloScan.com