21.9.04
um ouvido atento
Numa visita a um centro de juventude num dos pa�ses do norte da Europa, um amigo meu africano ficou chocado. Perguntou aos l�deres do centro qual o maior problema com que lidavam: abandono escolar, pobreza, gravidez precoce, droga, desemprego? A resposta foi arrasadora: o maior problema � o suic�dio juvenil.

No dia 8 a Organiza��o Mundial de Sa�de (OMS) voltou a lan�ar o alerta: em 2001 o n�mero de suic�dios em todo o mundo superou o n�mero de mortes por homic�dio e situa��es de guerra.
O suic�dio n�o � uma fatalidade. Como factor de preven��o o relat�rio da OMS fala de auto-estima e "social connectedness". Criar la�os � a principal solu��o -- "especially with family and friends, having social support, being in a stable relationship, and religious or spiritual commitment." Regista-se ainda o sucesso das linhas de apoio an�nimas.

Em Coimbra, desde 1997, a Linha SOS Estudante escuta quem precisa de ser ouvido. Funciona em regime de voluntariado e atende todos os meses dezenas de pessoas. Na cidade da vida acad�mica, o principal motivo das chamadas � a solid�o.
O servi�o nasceu da constata��o de que entre a comunidade estudantil universit�ria a taxa de suic�dio era bastante elevada. Lan�aram esta linha para que o suic�dio deixe de ser tema tabu entre n�s. Ali lida-se com ele diariamente. Como dizem na sua p�gina, est�o presentes quando a situa��o se apresenta dif�cil, quando j� ningu�m quer saber, quando j� mais ningu�m ouve. E assim d�o outro destino � aus�ncia de amor.




HaloScan.com