7.9.04
Os putos
"Uma bola de pano, num charco
Um sorriso traquina, um chuto
Na ladeira a correr, um arco
O c�u no olhar, dum puto.

Uma fisga que atira a esperan�a
Um pardal de cal��es, astuto
E a for�a de ser crian�a
Contra a for�a dum chui, que � bruto.

Parecem bandos de pardais � solta
Os putos, os putos
S�o como �ndios, capit�es da malta
Os putos, os putos
Mas quando a tarde cai
Vai-se a revolta
Sentam-se ao colo do pai
� a ternura que volta
E ouvem-no a falar do homem novo
S�o os putos deste povo
A aprenderem a ser homens.

As caricas brilhando na m�o
A vontade que salta ao eixo
Um puto que diz que n�o
Se a porrada vier n�o deixo

Um berlinde abafado na escola
Um pi�o na algibeira sem cor
Um puto que pede esmola
Porque a fome lhe abafa a dor."


...porque no p�s-Avante me apeteceu relembrar o Ary dos Santos!



HaloScan.com