5.7.04
Poema
A minha vida � o mar o Abril a rua
O meu interior � uma aten��o voltada para fora
O meu viver escuta
A frase que de coisa em coisa silabada
Grava no espa�o e no tempo a sua escrita

N�o trago Deus em mim mas no mundo o procuro
Sabendo que o real o mostrar�

N�o tenho explica��es
Olho e confronto
E por m�todo � nu meu pensamento

A terra o sol o vento o mar
S�o a minha biografia e s�o meu rosto

Por isso n�o me pe�am cart�o de identidade
Pois nenhum outro sen�o o mundo tenho
N�o me pe�am opini�es nem entrevistas
N�o me perguntem datas nem moradas
De tudo quanto vejo me acrescento

E a hora da minha morte aflora lentamente
Cada dia preparada

Sophia de Mello Breyner Andresen







e hoje h� Terra da Alegria, onde escrevo sobre o "Jogo e o �cio". Tamb�m podia chamar-se "O meu interior � uma aten��o voltada para fora".






HaloScan.com