7.7.04
Podres poderes

"eu quero aproximar o meu cantar vagabundo
daqueles que velam pela alegria do mundo."
(Caetano Veloso)

Diz-me uma amiga que cada post que eu ponha no blog tem que ter uma proposta, deve dar que pensar. Essa minha amiga que � bastante exigente comigo obriga-me sempre a estes exerc�cios de pensar para que serve viver, torna-me a vida mais dif�cil mas muito mais interessante. Ela � a minha cr�tica n� 1 que n�o posso desiludir (por falar em cr�tica faz-nos falta os coment�rios da nossa ilustre comentadora de servi�o - Clara Belo - onde andar� ela?). Tenho pelo menos tr�s drafts e mais alguns projectos de draft em que o sentido � s� partilhar m�sicas com letras de que gosto. Este � um deles.
Ap�s o tal exerc�cio a que a minha amiga me obrigou disse para comigo: hoje entro de f�rias, fiz a minha �ltima frequ�ncia: "Desenvolvimento Comunit�rio". O paralelismo destes versos do Caetano (quem gosta dele trata assim como amigo de longa data) com o nome da m�sica (podres poderes) diz-me muito sobre Desenvolvimento Comunit�rio e passos na hist�rias que nos faltam dar. Alegria e pessoas que cantem fazem falta. Poder�o eles ser sin�nimo de desenvolvimento? Acredito que sim, mesmo que como a Lhasa eu acredite numa vida (m�sica?) em que n�o tenhamos apenas luz. Faz sentido para voc�s?
Agora tenho que encontrar uma explica��o para cada um dos outros textos que quero partilhar convosco para que a minha quota parte de blog n�o seja um placard de afixar "coisas" mas implique alguma "reflex�o".



HaloScan.com