14.6.04
Pano Cru
Os n�veis de absten��o assustadores por toda a Europa devem dar que pensar. N�o podem ser utilizados para escamotear resultados e vontades de quem votou, mas s�o preocupantes e devem promover uma reflex�o s�ria que permita compreender porque n�o votam os europeus (n�o sentem que haja um projecto v�lido? a Uni�o Europeia n�o lhes pertence? acham que o voto n�o serve de nada? n�o percebem como funciona a democracia? ser� a absten��o uma forma de protesto ou para isso serve o voto branco?).

Perguntam-me "para qu� ir votar?" Tento responder como posso mas a verdade � que sinto que o sentido de voto s� conseguir� empolgar as pessoas, faz�-las sentir agentes no processo quando houver uma democracia que funcione bem. A nossa democracia n�o funciona bem: as cunhas andam na boca do mundo, h� carreirismo pol�tico que come�a nas associa��es de estudantes passando pelas J's, h� um partido com 8% dos votos e que tem tr�s ministros no governo, e n�o h� tempo para que as coisas possam ser pensadas, se criem projectos porque h� timings (quando n�o outros, eleitorais).
As pessoas v�em nos pol�ticos e nos seus "escand�los" gente que est�o l� para rapar o tacho. N�o sei at� que ponto poderei estar convicto se a minha resposta for: "sei que a maioria dos pol�ticos n�o � assim, s�o pessoas s�rias."

Ontem, numa discuss�o de amigos � volta desta quest�o, fal�vamos da cren�a nas novas gera��es que a� v�m em termos de futuros activistas pol�ticos e de cidad�os que fa�am mais exerc�cio da sua cidadania. Gostaria de saber em percentagem se quem mais vira as costas �s elei��es s�o pessoas de gera��es mais novas ou mais velhas. Gostava de saber se est� a haver (e de que maneira) uma mudan�a: estamos a ensinar os nossos filhos para a cidadania ou para uma competitividade do "lixa-o para n�o seres lixado". Cada vez mais me conven�o que a forma como estamos a "educar" enquanto sociedade n�o � a melhor.

Em rela��o � democracia e participa��o vieram-me � baila dois coment�rios da Joana a um post meu sobre o Portugal-Gr�cia. Aproveito para lhe responder que concordo inteiramente com o que ela diz, mas volto a dizer: s� n�o me revolta uma paix�o de bandeirinhas e jogos de futebol porque n�o me parece que futebol e pol�tica possam ser encarados como um mesmo fen�meno. N�o s�o extremos de uma mesma quest�o. Temos que saber funcionar em democracia e exercer a nossa cidadania; e ainda assim gostar de futebol e v�-lo com emo��o.

O que revolta � as pessoas n�o participarem, n�o se interessarem (conhe�o pessoas que me dizem que "n�o gostam de pol�tica" e n�o percebo o que querem dizer com aquilo, a pol�tica na sua pr�pria defini��o implica as pessoas) mas n�o quero comparar esse alheamento com o gosto por uma arte de que gosto mesmo (� assistir aos �ltimos vinte minutos do Inglaterra-Fran�a de ontem para compreender a magia).

O post � longo e se calhar mistura demasiados factores, esquecendo-se doutros. N�o posso aument�-lo, n�o posso cort�-lo mas gostava de conversar sobre isto.

Ser� que as pessoas sentem que a Democracia que temos � representativa? Ser� que sabem exercer os direitos democr�tico-c�vicos e s�o ensinados a faz�-lo nas diferentes escalas, nas associa��es? Ser� que faltam formas de exercer essa Democracia?

.
(A dan�a, Henri Matisse)



HaloScan.com