14.4.04
Paixões de Cristo
Fui mesmo dar os 4 euros ao Mel Gibson. O meu lado cinéfilo sobrepôs-se à minha sensibilidade... Não vale a pena tecer muitos comentários. À saída um colega, disse-me que achava que, "à maneira de cada um", o filme despertava uma pontinha de fé. Eu disse-lhe que não concordava. Ele ressalvou o "à maneira de cada um". E eu acrescento que aquela não é a minha maneira de encarar a fé e a Paixão. "Eu quero o amor e não os sacrifícios, / E o conhecimento de Deus mais que os holocaustos." (Os, 6,6)

Depois duns dias fora pela Páscoa, volto a ler os jornais e ouvir noticiários. E encontro aí muitas paixões de Cristo. O Miguel tem raz�o: há mais para reflectir a Paixão de Cristo nas notícias que nos chegam do Iraque, do que no filme. Ou, nas palavras do Tolentino: O sofrimento de Cristo é solidário com a grande e anónima corrente do sofrimento humano.

Por isso mesmo, segue-se uma série de paixões de Cristo.



HaloScan.com